Dia de confraternização

O jornalista e colega de trabalho Carlos Eduardo de Souza, o Carlão, durante alguns anos nunca falhava na casa do saudoso Edson Baffi em dias de jogos do Santos. O local virava ponto de confraternização quando o Peixe entrava em campo, e ao lado desses dois, o filho mais novo de Baffi, Guilherme, completava o trio fanático pelo alvinegro praiano. Edinho, o filho do meio, que não mora em Rio Preto, às vezes se juntava à patota.

Com os pés fincados na sala da casa espaçosa do Anchieta, lá eles riam, choravam, se abraçavam; às vezes se despediam cabisbaixos já prevendo as piadas do dia seguinte, noutras felizes como criança. Havia dias que ainda se telefonavam para relembrar o jogo.

A dona da casa, Célia, aproveitava o momento futebolístico para um de seus maiores prazeres – levar suas gostosuras à mesa. Bolos e pão de queijo quentinho sempre surgiam num passe de mágica.

No sofá, enquanto Carlão e Baffinho se importavam mais com o placar e um resultado favorável ao time do coração, Baffi pai apreciava o futebol arte. Adorava a dupla Neymar e Robinho, e viu os meninos conquistarem alguns campeonatos.

Em 2011, na conquista do título da Libertadores, Baffi já não estava mais nesse plano. O santista partiu para sempre em fevereiro daquele ano. A ausência de alguém tão amado fez com que a família se mudasse para um apartamento, e os dias de jogos do Santos ficaram mais apagados.

Carlão chegou a ver algumas partidas ao lado de Baffinho. Uma das últimas vezes que esses dois apaixonados pelo Santos seu reuniram foi na vitória que sagrou o time campeão da Libertadores. “Como meu pai não estava mais aqui, combinamos todos de ir à casa da minha tia Ana, irmã da minha mãe”, lembra Baffinho.

Mesmo com o trio desfeito, Carlão continua a se fazer presente, inclusive com seu humor peculiar. Não perde o costume de ligar, mandar mensagens e e-mails para comentar o desempenho do Peixe e tirar sarro dos adversários.

Essa semana, por exemplo, surpreendeu outra santista, a Liza Mirella, ao enviar-lhe um e-mail com uma foto montada do goleiro são-paulino Rogério Ceni, vestindo uma blusa tomara-que-caia. Sábio Carlão. Isso foi antes da goleada de três a zero a favor do Santos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: