A mais bonita

Domingo à noite, família reunida em torno da mesa. Sopa de capeletti para combinar com o frio. Parmesão ralado, pão francês, vinho tinto seco. Foi assim que cheguei aos 35. Bem melhor do que tinha programado durante todo o mês de maio – até semana retrasada, era escalada para trabalhar no plantão do feriado de Corpus Christi.

Agora, chego à idade nova sem trabalho, relacionamento, filhos, ou grandes histórias para contar. Talvez o lado bom seja a possibilidade de o novo entrar.

Minha avó sentada numa das pontas da mesa, a certa altura o assunto gira em torno de tia Isaura, casada com um mulçumano. Tio Abdo criou dois filhos com seu box no mercado municipal – Jamil, médico, e Jamila, jornalista. Eu era menina e quando ele aparecia com seu bigode farto e careca lustrosa tudo ficava perfeito, no seu devido lugar.

– Essa é a menina mais bonita da cidade. Pode procurar que não vai achar igual – repetia sempre, ao me ver. Eu acreditava no discurso de tio Abdo, e sabia de cor.

Descobri que nos últimos tempos dificilmente seu velho Fusca sai da garagem, e que as meninas mais bonitas são minhas sobrinhas.

Anúncios

2 Respostas to “A mais bonita”

  1. Rogério Says:

    O Tio Abdo sabe das coisas.

  2. caroline Says:

    ..me lembro desses nomes,eram tao estranhos naquela epoca,hj sao normais..ja vi por aqui cada um….poe uma foto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: